Backups: ficheiros e pastas a salvo Versão para impressão

Backups: ficheiros e pastas a salvo

 

Fazer cópias de segurança do sistema é simples, rápido e nem sempre caro. Use modos automáticos, para não depender da sua memória.

 

Uma avaria inesperada do computador é a morte de pastas inteiras de fotos e documentos importantes. As cópias de segurança evitam o pior. O ideal é gravar todo o conteúdo de forma regular e automática. Em caso de avaria, perda ou roubo, a cópia permite reinstalar o disco rígido.

 

Aposte no plano B

A maioria dos utilizadores cria cópias com o copy-paste ou arrastando pastas. Mas é mais seguro confiar nos programas de backup, que gravam em intervalos fixos quando o computador está ligado. Na primeira vez, é copiado todo o sistema; nas seguintes, apenas ficheiros novos ou alterados.

 

Se o PC estiver desligado no momento da operação, quando voltar ao activo, recebe um aviso para fazer a cópia.

 

O sistema operativo integra programas de backup: Windows Back-Up ou Time Machine do Mac OS X. Há ainda versões gratuitas que se descarregam da Net, como o Cobian Backup. Mas apenas dão assistência na organização das cópias. Além do software, há que prever um suporte. Os CD e DVD são os mais baratos, mas não permitem cópias automatizadas, sobretudo devido à reduzida capacidade de armazenamento. Mesmo as pen-disks, já com capacidades elevadas (64 e 128 GB), não são suficientes para copiar o sistema todo.

 

Outra possibilidade é armazenar os dados num servidor ao qual o PC esteja ligado via Net. É o caso do Dropbox, JungleDisk, SugarSync, Syncplicity e ZumoDrive. Até certa capacidade de armazenamento, alguns serviços são gratuitos. Pode aceder aos dados em qualquer computador com ligação à rede. Mas esta estratégia é mais adequada para armazenar ficheiros do que para cópias do sistema.

 

Truques para gravar ficheiros

Para revelarmos as melhores soluções de backup, definimos dois cenários. No primeiro, incluímos uma família com computador portátil usado em todas as tarefas. O aparelho guarda informações bancárias, fotos e vídeos da família, trabalhos escolares e documentos importantes descarregados da Net. Aconselhamos um disco rígido externo de 2,5 polegadas e 500 GB.

 

No segundo cenário, considerámos uma família com um PC de secretária e 2 portáteis usados pelos filhos na faculdade. A máquina de casa armazena o arquivo da família: centenas de fotos, vídeos e documentos importantes. Os portáteis acedem à informação naquele PC e partilham ficheiros e documentos fora de casa.

 

O mais indicado é um sistema NAS com 2 discos de 1 TB, configurado em modo de segurança. Deve ter acesso remoto disponível e backups automáticos quando os aparelhos estão ligados em rede.

 

in Deco.Proteste.pt